fbpx
Deputada destaca importância de combater a venda de artesanatos produzidos com matéria-prima de origem animal

Geral

Deputada destaca importância de combater a venda de artesanatos produzidos com matéria-prima de origem animal

Dep. Joana Darc
Escrito por Dep. Joana Darc em 01/07/2019

Joana Darc (PL) acompanhou a ação da campanha “Não tire as penas da vida” do IBAMA que conscientiza a população e artesãos sobre o comércio de artefatos produzidos com penas, plumas, peles, ossos, escamas, olhos, couros e dentes durante o Festival Folclórico de Parintins

A deputada Estadual Joana Darc (PL) esteve presente na ilha tupinambarana e pode acompanhar um pouco do trabalho de fiscalização e conscientização realizado pela equipe do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Com o tema “ Não tire as penas da Vida” a campanha que é realizada todos os anos em Parintins visa o combate do comércio ilegal de penas, plumas, peles, ossos, escamas, olhos, couros e dentes para confecção de artesanato comumente produzidos e vendidos antes e durante o Festival Folclórico do município.

 

Como presidente da Comissão de Meio Ambiente, Proteção aos Animais e Desenvolvimento Sustentável, a parlamentar ressalta a importância da campanha. “Essa campanha é de suma importância em dois aspectos, um é a conscientização para que os turistas e visitantes não comprem artefatos que sejam produzidos com matéria-prima de origem animal, e o segundo é que a fiscalização combate a ação de ilegal de matar animais para que suas penas, pele, escamas sejam usados para produção de artesanato. Isso é cuidar da fauna da nossa Amazônia. Esse não deve ser um papel só do Ibama, mas também de todos nós, pois precisamos cuidar melhor do meio ambiente”,destacou a deputada. 

 

A ação de conscientização do Ibama é amparada na Lei de Crimes Ambientais 9605/1998, e acontece desde 2002 na terra dos bumbás. Durante o período de fiscalização o órgão atua em casas, comércios, porto e também no galpão dos bois Garantido e Caprichoso.  “Fiquei muito feliz em ver o trabalho que a equipe do Ibama está realizando na cidade, pois essa prática ilegal alimenta o tráfico de animais e consequentemente contribui com o desaparecimento de espécies”, concluiu a deputada.

 

O comércio ilegal de penas, pescado e fauna é crime e pode levar a reclusão. Segundo o Ibama a penalidade varia de acordo com o material utilizado nos artefatos.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *