O feminismo incomoda muita gente

Empoderamento Feminino

O feminismo incomoda muita gente

Dep. Joana Darc
Escrito por Dep. Joana Darc em 08/03/2020

Hoje, 8 de março, é o Dia Internacional da Mulher, uma data que surgiu após diversas manifestações por melhores condições de trabalho, igualdade de direitos civis e de voto. Há historiadores que afirmam que tudo começou no século 20, em Nova Iorque, no dia 26 fevereiro de 1909, quando mais de 15 mil mulheres marcharam nas ruas da cidade. Também há indícios de que os primeiros registros do movimento feminista tenha iniciado bem antes, no século 19, com sufragistas inglesas, que lutavam pelo direito ao voto. 

Mesmo com tanta informação escancarada, muitas pessoas ainda insistem em achar que a data serve apenas para entregar flores e se esquecem que a luta por uma sociedade sem hierarquia de gênero continua até hoje. Nos últimos anos temos visto um movimento de mulheres invadindo a internet, as universidades, as praças públicas. É o feminismo pulsante e gritante, tentando preencher espaço em todas as brechas que se abrem. Um movimento em busca de respeito, de representatividade, de igualdade de gênero e principalmente direito à vida sem violência.

O mais revoltante é que em pleno século 21, mais de 100 anos após os primeiros registros de manifestações femininas, o machismo ainda esteja entranhado nos lares de de tantas famílias, no pensamento de formadores de opiniões, em quem menos esperamos. Somos atacadas por expormos nossas dores. Nossas lutas. Nossas vontades! 

O feminismo incomoda demais àqueles que preferem diminuir uma mulher a reconhecer todas as nossas habilidades. Vemos constantemente o desrespeito nas diversas campanhas encabeçadas pelas mulheres. Para os machistas, somos assediadas “porque procuramos”. Somos violentadas “porque merecemos”. Muitos ainda enxergam as mulheres como máquinas sexuais e de procriação. 

Por ser mulher, por ser feminista, vivo essa luta a cada minuto da minha vida. No que depender de mim, mulheres sempre terão vozes ativas, seja aonde for. Continuarei trabalhando arduamente para criar políticas públicas que beneficiem mulheres, que empoderem, que as façam se sentir donas de si. Parabéns pra nós, guerreiras!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *